Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Ricardo Romanelli

    22 de Dezembro de 2017 por Ricardo Romanelli

    Com a aposentadoria da camisa de Kobe Bryant nesta semana, fica a pergunta: qual será o próximo grande jogador a ter sua camisa aposentada pelo Lakers?

    Chamberlain (13), Baylor (22), Goodrich (25), Johnson (32), Abdul-Jabbar (33), O'neal (34), Worthy (42), West (44), Wilkes (52), e agora Bryant (8 e 24). Estes, além da homenagem a jogadores e técnico do Minneapolis Lakers e o microfone de Chick Hearn são os atletas eternizados no topo do Staples Center.

    Linha dura ao longo dos anos

    O Lakers, ao contrário de outras franquias, não aposenta qualquer camisa. Enquanto outros times eternizam jogadores que eram muito queridos pelos fãs, ou role players que tiveram participação em momentos importantes, o Lakers adota uma linha mais dura: só são aposentadas as camisas de jogadores que entrem para o Hall da Fama, e que tenham feito parte do time durante seu auge, tendo participado de importantes conquistas.

    Todos os jogadores foram partes de times que ganharam títulos pelo Lakers, com exceção de Baylor. Ele se aposentou no começo da temporada de 1971-72, onde por uma coincidência infeliz, o Lakers faturou o campeonato da NBA. Apesar disso, ele foi 11 vezes All-Star com a franquia e chegou a 8 finais da NBA. Ele também é, até hoje, o recordista de mais pontos em um único jogo das finais, com 61 pontos marcados contra o Boston Celtics, em 1962. Também teve o recorde de mais pontos marcados em um só jogo na NBA, ao registrar 71 pontos em 1960, até que Wilt Chamberlain marcou 100 pontos em 1962. A marca de mais pontos em um só jogo na história do Lakers, no entanto, persistiu com ele até 2006, quando Kobe Bryant marcou 81 pontos.

    Mas diante de uma história tão repleta de grandes jogadores e com padrões tão altos, quem seria o próximo atleta capaz de entrar para este seleto grupo de lendas?

    Não é nenhum jogador do futuro. O espanhol Pau Gasol precisa ser o próximo atleta a ter sua camisa eternizada pelo Lakers.

    Gasol foi peça crucial de uma nova dinastia

    Ele com certeza fará parte do Hall da Fama, por ser duas vezes campeão da NBA e ter uma carreira com excelente retrospecto internacionalmente, por sua atuação com a seleção espanhola e também na liga de seu país de origem.

    E o que falar dos serviços dele pelo Lakers? Chegou num momento de encruzilhada, onde Kobe Bryant pressionava a diretoria por mudanças no elenco ou então que o trocassem. Diante deste cenário, Gasol foi a peça que faltava para tornar o Lakers um time campeão, e como segunda opção de Bryant, foi peça central do time que ganhou dois títulos entre 2009 e 2010.

    Em sete temporadas com o Lakers, ele acumulou 17,6 pontos e cerca de 7 rebotes de média, além de três aparições no All-Star Game e, mais do que isso, uma identificação muito grande com o torcedor e com o elenco do Lakers. Ele era muito próximo de Bryant, e o elo entre eles foi fundamental para a conquista dos dois campeonatos mais recentes do Lakers. Sua postura respeitosa e tranquila também foi essencial para um bom relacionamento com Bryant, de personalidade mais difícil.

    Não há dúvidas de que a camisa número de 16 de Gasol deve ser eternizada pelo Lakers quando ele, que ainda está em atividade pelo San Antonio Spurs, finalmente decidir encerrar a carreira.

    As 10 melhores jogadas de Pau Gasol com o Lakers

    Fala aí!