Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Guilherme Borges

    08 de Janeiro de 2018 por Guilherme Borges

    A NBA é um negócio, e qualquer jogador pode ser trocado a qualquer momento. Por mais que este mantra seja repetido à exaustão (e que seja verdadeiro), sabemos que todo time tem seus objetivos no mercado, e que está disposto a negociar determinadas peças em prol disso. No Lakers, os três maiores candidatos a serem trocados no momento são Jordan Clarkson, Larry Nance Jr. e Julius Randle.

    Desde quando o comentarista da ESPN Adrian Wojnarowski postou em sua conta no Twitter que o Lakers estaria tentando trocar Julius Randle, os rumores de troca só aumentaram. Daí em diante, inúmeras páginas e especialistas afirmaram que o Lakers estaria ofertando Jordan Clarkson, Julius Randle e Larry Nance Jr. para todos os times da liga. O alvo prioritário de Magic e Pelinka, acredita-se, seria o pivô DeMarcus Cousins. Além dele, a equipe californiana em razão de todos os rumores ligados a Paul George na pré temporada passada, também mira o ala do OKC, que parece agora ser um alvo mais distante, já que Westbrook e Cia. melhoraram consideravelmente como time nos últimos confrontos.

    O que o Lakers pode receber por seus jogadores?

    "E se o Lakers não conseguir acertar nenhum de seus alvos oferecendo Larry, Clarkson e Randle, o que será feito?", você deve estar pensando. Nada muda. O time continuará a buscar trocas para esses jogadores. A opção mais provável, nesse cenário, seria ir atrás de um jogador com contrato expirante (que tenha só mais um ano de contrato com seu time atual). "Porque?" Conseguir trocar por Cousins e George agora seria ótimo, mas caso isso não seja possível o Lakers acredita ter grandes chances de adquiri-los na próxima agência livre ao final dessa temporada. Para isso, contudo, nossa equipe precisa de espaço no cap salarial (um "teto" de folha salarial estabelecido pela NBA). Como nenhum outro time está interessado no contrato milionário de Luol Deng, a atual diretoria acredita ser mais vantajoso correr o "risco" de trocar Clarkson, Randle e Larry, ainda que não consiga nada útil em troca; abrir espaço na folha salarial; e, assim, na próxima janela, tentar adquirir duas estrelas.

    Rumores afetam os jovens dentro de quadra

    Toda essa conversa, inclusive, parece estar afetando o jogo dos garotos. Randle, desde a temporada passada, já era citado em rumores de troca. O pivô passou por um processo de condicionamento físico, a pedido da diretoria do Lakers, mas mesmo assim, não satisfaz a diretoria e continua sendo o mais envolvido nos rumores. Sua saída é quase certa. Tal, realidade, contudo, parece ser mais nova para Clarkson. O garoto que começou a temporada com a ideia de disputar o prêmio de "Sexto Homem do Ano", após a atual sequência de derrota do Lakers, e os recentes rumores de troca, dá sinais de desânimo e está longe de alcançar seu objetivo. Larry, por sua vez, parece ter perdido um pouco de espaço, voltou para o banco de reservas, e já não tem feito tanta diferença como no início da temporada. Sua personalidade, contudo, faz com que ele aparente ser o que menos se importa com os rumores de troca. Como peças individuais, é difícil enxergar uma troca para qualquer um desses jogadores. Os seus valores de mercados são incertos. Um “pacotão” que troque os três por um único jogador é a situação mais provável.

    Além disso, já foi notícia, aqui mesmo no LABR, a conversa entre os jogadores e a comissão técnica, onde alguns deles se abriram sobre estarem insatisfeitos com a posição que a diretoria vem tomando. 

    Tudo o que acontece em Los Angeles aparece no holofote da mídia norte americana. Com a franquia mais "holywoodiana" da NBA passando por um de seus piores períodos da história, esse fator se agrava mais ainda. Os garotos não se sentem valorizados por poderem ser trocados “por nada”. Magic e Pelinka querem troca-los para tentar devolver o Lakers ao lugar de onde nunca deveria ter saído. Mais um dia normal na Liga.

    Fala aí!