Luol Deng: “Quero jogar ou estar em outro lugar”
Espalhe!
  • Bate Papo 0
    Ricardo Romanelli

    03 de Agosto de 2018 por Ricardo Romanelli

    Desde que o Lakers deu um contrato de US$ 72 milhões por quatro anos a Luol Deng, este vínculo tem sido um problema. A alta quantia comprometida com o veterano, além de seus poucos minutos jogados, fazem com que apenas o valor de seu contrato e as limitações que isto causa à folha salarial do Lakers sejam observados.

    Deng, no entanto, parece disposto a encontrar uma saída diferente. Na África para um jogo de exibição da NBA, o atleta comentou sua situação com o Lakers:

    “Não sei onde me encaixo com o Lakers, fiz o que eles quiseram. Não sei o que está acontecendo, espero saber em breve. Só quero que as pessoas entendam que não foi minha decisão isolada de não jogar. Eu sei que ainda consigo jogar. Eu quero jogar, quero ser parte de algo. Mas não quero ser parte de algo num lugar que não acredita em mim. Se não acreditarem em mim, prefiro estar em outro lugar.” – Luol Deng.

    Aos 33 anos, Deng é um veterano que fez fama como bom pontuador nas infiltrações e bom defensor em sua carreira. Com a idade, seu físico declinou, tendo um grande impacto sobre a eficiência de seu estilo de jogo. Caso continue no Lakers, ele poderia, em tese, jogar alguns minutos como pivô no esquema small ball de Luke Walton.

    Há de se fazer uma ressalva, no entanto, quanto às declarações de Deng. Após a saída de Corey Brewer, mais ou menos na metade da temporada passada, o Lakers ofereceu a ele os minutos que o ala jogava na rotação, que foram recusados pelo veterano.

    Pode ser que um novo papel ou então uma saída seja negociada em breve, mas agora temos apenas uma certeza: Deng não está tão acomodado com seu papel no time quanto muita gente dizia.

    O GM Rob Pelinka, além do pivô JaVale McGee, também estão em Pretória, na África do Sul, para o NBA Africa 2018. Pode ser uma boa chance para Deng e Pelinka conversarem francamente, e achar uma solução para a continuidade.

    Fala aí!