Espalhe!
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp
  • Bate Papo 0
    Renato Campos

    11 de Abril de 2022 postado por Renato Campos

    nba_3_solucoes_para_o_lakers_se_livrar_de_russell_westbrook

    Com o final da temporada regular e com a offseason do Lakers começando mais cedo do que nunca, o que mais se falou da recente campanha do time é como Russell Westbrook não se ajustou ao time e como o técnico Frank Vogel deveria sair do comando - o que deve acontecer oficialmente ainda hoje.

    Russell Westbrook tem uma opção de jogador no valor de US$ 47 milhões e não deve abrir mão dessa chance com o Lakers. Porém, o casamento pode chegar ao fim antes da temporada começar. Por mais que essa seja a vontade da diretoria, a questão toda envolvendo o armador é em como fazer essa separação.

    Uma troca

    A melhor forma sem dúvida seria por meio de uma troca. Diferente do prazo de trocas dentro da temporada, os times podem se interessar em ter o armador por conta de um contrato de apenas um ano e também ganhar uma escolha de primeira rodada no processo que o Lakers tem para 2027. Ainda assim, insiders acreditam que seu mercado vai ser bastante limitado por conta da temporada abaixo do esperado que Russ teve em Los Angeles.

    Dispensa

    Uma segunda opção, e que foi muito comentada durante a semana, seria de que o Lakers poderia simplesmente dispensar o jogador usando a cláusula chamada "waive-and-stretch". O que distribuiria o salario de US$ 47 milhões do jogador ao longo de alguns anos futuros. Com isso, o Lakers teria um baita alívio nos tão falados impostos de luxo e abriria espaço na folha salarial. Essa opção seria muito interessante e pode ajudar o Lakers a manter Malik Monk para a próxima temporada. 

    Buyout

    Porém, existe ainda uma terceira opção em potencial que alguns acreditam ser a melhor para ambas as partes.

    Como a próxima temporada é um ano de opção de jogador para Westbrook, ele consideraria optar por deixar o time e se tornar um agente livre, evitando assim que o Lakers seja responsável por qualquer salário devido a ele?

    De acordo com Ramona Shelburne, da ESPN, não devemos ter esperanças.

    Pela ESPN:

    “Uma opção: Westbrook considerar o buyout do último ano de seu contrato, mas pelo menos por enquanto, fontes próximas ao MVP de 2017 expressaram pessimismo de que ele faria isso.

    “Westbrook é um homem orgulhoso. Ele não parece que vai aceitar um buyout, explicou uma fonte próxima a ele. Mas ele também acredita que pode contribuir para uma equipe de alto nível”.

    Se Westbrook não optar por sair, e se o Lakers não encontrar uma oferta de troca para ele que seja suficientemente boa, a diretoria pode ser essencialmente forçada a dispensá-lo simplesmente.

    Artigo detalha o péssimo relacionamento de Russell Westbrook e Frank Vogel

    Dan Woike e Broderick Turner, do Los Angeles Times, divulgaram uma análise aprofundada nesta sexta-feira sobre o que exatamente deu errado com a temporada do Lakers. Um dos pontos que eles examinaram foi o relacionamento de Westbrook com o técnico Frank Vogel.

    A matéria citou um membro anônimo da equipe do Lakers, que revelou que Westbrook nunca respeitou Vogel desde o início e compartilhou uma história sobre como o jogador contradisse abertamente Vogel durante os estágios iniciais do training camp.

    "Russ nunca respeitou Frank desde o primeiro dia."

    “No momento em que Frank disse que qualquer um que pegasse o rebote poderia carregar a bola pela quadra, que é exatamente como a NBA é jogada hoje em dia, Russ disse: ‘Não, eu sou o armador. Dê a bola para mim. Todo mundo corre.” Frank disse: “Não, nós temos Talen. Temos Austin. Temos Malik. Temos LeBron. Temos AD. Todos eles podem trazer a bola pro ataque” Westbrook disse: “Não, eu sou o armador. Me dê essa m—. Todos saiam do caminho.'

    “Daquele ponto em diante, no training camp, tudo foi por água abaixo”, acrescentou o funcionário. “Agora Russ é um peixe fora d'água. Ele não sabe o que fazer. Foi assim que isso começou.”

    O artigo de Woike-Turner compartilha vários outros insights sobre Westbrook, Vogel e outros fatores-chave dentro do Lakers que ajudaram a condenar sua temporada. Se você quiser ler em inglês e na integra, este é o link

    Embora Vogel tenha conseguido trabalhar bem com LeBron James e Anthony Davis, Vogel nunca conseguiu aplicar seu estilo a Westbrook. O ex-MVP não se encaixou no ataque do time desde o início, e quando o técnico finalmente decidiu substituí-lo brevemente na temporada, Westbrook fez algumas declarações falando sobre as decisões Vogel.

    Vale a pena notar que Vogel é apenas o quarto treinador que Westbrook teve ao longo de seus 14 anos na NBA. Enquanto Westbrook conseguiu se dar bem com alguns desses treinadores, como Scott Brooks, ele também entrou em conflito com outros além de Vogel.

    Lakers precisa ter Monk de volta

    Uma das missões do Lakers nesta offseason é se livrar de Westbrook e manter Malik Monk. Isso seria um grande passo para a montagem do elenco na próxima temporada. Monk, que tem apenas 24 anos, se encaixou perfeitamente ao lado de LeBron e Davis. Além disso, se compararmos Monk com Westbrook, o jogador mais novo sai na frente quando se trata em aproveitamento de seus arremessos, ponto crucial para se dar bem ao lado das estrelas do Lakers.

    Nesta temporada, Westbrook arremessou apenas 29,8% de bolas de três pontos e lidera a liga em turnovers. Enquanto isso, Monk tem 39% das bolas longas.

    De acordo com Jake Fischer do Bleacher Report, o valor de Monk aumentou de forma significativa essa temporada.

    “As expectativas entre os funcionários da liga questionados pelo B/R para o próximo salário de Monk são bastante variadas, mas variaram de um valor médio anual entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões, muito acima do número mínimo que o Lakers conseguiu contratá-lo para esta temporada”. escreveu Fischer.

    Tanto Westbrook quanto Monk querem voltar ao Lakers na próxima temporada. 

    Após a derrota para o Suns nesta semana, Westbrook disse que gostaria de retornar ao Lakers. Enquanto isso, o irmão e empresário de Monk disse que gostou de ver o armador prosperar em Los Angeles.

    “Quero dizer, esse é o plano, mas nada está certo”, disse Westbrook. “Quero ver como funcionaríamos ao longo de uma temporada de 82 jogos, mas também não temos certeza se daria certo. Então, só espero que tenhamos a chance de fazer algo.”

    Atualmente, o Lakers só poderia oferecer a Monk um salário de aproximadamente US$ 2 milhões, que seria o mínimo veterano, ou a exceção de nível médio estimada em US$ 6,3 milhões. No entanto, tudo isso pode mudar se Westbrook for dispensado.

    Fala aí!